29 de abr de 2011

A golden week começou...


 O Dia do Verde, 29 de Abril, marca o início da Golden Week(Semana Dourada), uma semana mágica quando quase todos têm folga no Japão. Sabe aquela semana de feriadão que todo mundo aproveita para viajar? Pois bem… Lá isso ocorre durante a Golden Week!
Além deste dia, o dia da comemoração da Constituição Japonesa, 03 de Maio, e o dia das crianças, 05 de Maio – que na verdade é dia dos meninos, o das meninas já teve esse ano – são combinados, gerando essa semana de férias.
Normalmente, a Golden Week é a semana mais complicada para viajar dentro do Japão, porque como quase todos estão de folga, todos querem aproveitar! Mas devido aos acontecimentos de Março,tenho certeza que as áreas mais afetadas pela catástrofe não irão aproveitar essa semana como nos anos anteriores, é uma pena,mas é a realidade!.E ainda, tudo isso fez com que o número de estrangeiros presentes no Japão caisse drasticamente e fez com que ainda seja possível reservar hotéis e passagens para viajar durante a semana de feriados.


27 de abr de 2011

Japão, um país agrário?

ric.jpg 


No Japão, cerca de 15% das terras são apropriadas para o cultivo. O sistema de terraceamento é usado em várias partes do país,principalmente nas pequenas áreas. Isto significada que o Japão tem um dos mais elevados níveis de produtividade por unidade no mundo. Mas vale lembra que o pequeno setor agrário do Japão, é muito subsidiado e protegido. Com exceção do arroz, o Japão precisa importar por volta de 50% dos grãos consumidos e depende de importações para seu suprimento de carne. Muitos lavradores adotam o sistema de agricultura orgânica (sem agrotóxicos ou fertilizantes químicos) assim como utilizam também técnicas para plantio em estufas, o que garante  melhor aproveitamento da energia solar.

Fonte: nipocultura

24 de abr de 2011

Tratamento médico no Japão e Seguro Saúde

(Tratamento Médico)
No Japão, existem várias instituições médicas que não atendem em outros idiomas além de japonês, para um paciente estrangeiro dizer o que está sentindo corretamente, é aconselhável,claro se possível, ir ao médico acompanhado de alguém que entenda e fale o idioma japonês. Os governos provinciais sempre divulgam na internet as informações referentes às instituições médicas e os idiomas atendidos por elas.
As instituições médicas no Japão são classificadas em: hospitais equipados para oferecer serviços de internação e exames; e clínicas que a população mantém um contato mais frequente. Primeiro, é aconselhado procurar as clínicas para consulta, e depois os hospitais para um atendimento mais especializado, caso seja  necessário.
Quando há restrições no atendimento,devido à natureza alérgica, ou seja lá qual for o outro motivo, você deve comunicar a recepção ou aos enfermeiros com antecedência.
Deve levar também a Carteira de Seguro de Saúde para ser atendido nos hospitais ou nas clínicas. Além do mais, se estiver tomando algum medicamento, é recomendável levá-lo também.

(Seguro Saúde)
Todos os residentes no Japão, sendo estrangeiro ou não, devem se inscrever a um sistema público de seguro de saúde.
Há dois tipos básicos de seguro de saúde: o Seguro de Saúde (Kenko-hoken) que é mais para os empregados em empresas, e o Seguro Nacional de Saúde (Kokumin-kenko-hoken), voltado para os trabalhadores autônomos, desempregados e outros.
Quem possui seguro de saúde só paga 30% do valor das despesas médicas determinadas pela tabela única para todo o Japão, enquanto quem não está associado deve arcar com a totalidade dos custos. 

Fonte: vivanojapao

23 de abr de 2011

Kimigayo (君が代) | O hino nacional japonês

http://www.flickr.com/photos/f112358/


Kimi ga Yo (geralmente traduzido como "Reino Imperial") é o hino nacional do Japão, e também um dos hinos nacionais mais curtos do mundo ainda em uso. A letra se basea num poema Waka escrito no Período Heian (de autor desconhecido), enquanto que a melodia foi composta na Era Meiji, também de autor desconhecido.
Mesmo o Kimi ga Yo sendo há muito tempo o hino de fato do Japão, somente foi legalmente aceito em 1999, após passar por um conselho que decidiu pela adoção do hino.

Letra


Hino Nacional do Japão

Tradução


Possa o reinado do meu senhor,
Prosseguir durante uma geração,
Uma eternidade,
Até que seixos
Surjam das rochas,
Cobertas de musgo verde claro 


O termo kimi é uma antiga e muito pouco usada palavra que significa "nosso senhor" e refere-se ao Imperador do Japão. A idéia de que seixos pudessem crescer de rochas era popular no domínio Heian do Japão. Mas durante este mesmo período (e quando a letra foi escrita), kimi significa "meu amado" ou simplesmente "você", que é o atual significado.


21 de abr de 2011

Sufixos usados após os nomes

É extremamente importante saber como referir-se a uma pessoa no Japão, procurando sempre ter cuidado ao usar as formas de tratamento. Os japoneses levam muito a sério o tratamento com sufixo e, considera desagradável quando um estrangeiro não procura se inteirar antes de se referir-se a alguém.
Para cada situação existe uma forma de tratamento e pode mudar de acordo com a ocasião e a pessoa a quem está se referindo.
É aconselhável utilizar o sufixo San quando se tem dúvida sobre qual forma de tratamento usar para com a pessoa a quem está se referindo. E vale lembrar que ações de cumprimento como: beijos e aperto de mão não são muito usuais. O mais indicado é reverenciar praticando o Ojigi (ato de curvar-se em sinal de cumprimento),que já foi um dos post aqui do blog.

  
Sufixos mais conhecidos:

Bochan: (sufixo) Usado para crianças ricas. Geralmente usado por mordomo.
Chan: (sufixo) Para crianças, ou modo carinhoso de se chamar meninas ou meninos. É mais freqüente entre meninas, e amigas podem se tratar assim até depois de adultas.
Dono: (sufixo) Pode ser considerado o mesmo que "San", no entanto é usado mais por pessoas antigas. É mais formal que San e menos formal que Sama. Pode ser empregado a uma pessoa importante e influente, mas que não faça parte da realeza.
Douhai: (sufixo) Corresponde a um companheiro de trabalho ou estudante do mesmo nível, ou que ingressaram na escola ao mesmo tempo.
Han: (sufixo) Tratamento semelhante a San. Um sufixo muito antigo e que caiu em desuso. Hoje em dia é raro usar Han e, em seu lugar agora se emprega San.
Ichi ou Kazu: (sufixo) Ambos significam primeiro filho. São acrescentados no final de nomes próprios masculinos modernos. Exemplo: Jun-ichi, Ken-ichi, Ryuichi, Masakazu, Toshikazu, etc...
Ji e Zo: (sufixo) Correspondem respectivamente o segundo e terceiro filho. São acrescentados no final de nomes próprios masculinos modernos. Exemplo: Eiji e Senzo.
Ko: (sufixo) Significa criança e é acrescentado a nomes próprios femininos modernos. Exemplos: Aiko, Haruko, Keiko, Masako, Mitsuko, Naoko, Reiko, Rumiko, Yoko, etc...
Kouhai: (sufixo) Usado para se referir a calouros ou iniciantes numa mesma atividade.
Kun: (sufixo) Para crianças. Usado em sinal de respeito entre jovens. Também pode ser para o filho(a) de alguém conhecido, mesmo que este já seja um adulto, mais ou menos parecido com Junior em comparação ao filho(a). “Uma pessoa pode ser chamada de Kun (intimamente) o resto da vida por alguém mais velho que o conheça desde criança”.
Mi: (sufixo) Significa beleza. Alguns nomes próprios femininos terminam com esse sufixo. Exemplo: Harumi, Mayumi, Naomi, Hiomi, Yumi, Natsumi, etc...
Sama: (sufixo) Usado quando a situação é altamente formal, alguém muito importante ou se tem muito respeito pela pessoa. Também usado para reis, rainhas e realeza em geral e até mesmo para Deuses. Exemplo: Deus em japonês é Kami, mas é regra acrescentar Sama no final “Kami-sama”.
San: (sufixo) Usado para adultos, pais e pessoas mais velhas ou pessoas que não tenha intimidade. Empregado em sinal de respeito tanto para homem ou mulher. Equivale a senhor e senhora.
Senpai: (sufixo) Usado para alguém mais velho e experiente. Freqüentemente estudantes mais novos utilizam em sinal de respeito aos veteranos.
Sensei: (sufixo) Usado para professores, mestres e instrutor em geral.
Shi: (sufixo) Acrescenta ao sobrenome para indicar respeito. É mais utilizado em publicações, utilizado pela imprensa.
Tachi: (sufixo) Significa plural para coisas e pessoas. Mais utilizado para grupos de pessoas. Exemplo: Anata = você + Tachi = Anata Tachi = vocês.

Fonte: mundo-nipo

20 de abr de 2011

Estatísticas mostram as causas das mortes após terremoto e tsunami

Segundo a Agência Nacional de Polícia do Japão, mais de 90% das vítimas das tragédias do dia 11 de março morreram por afogamento, sendo que cerca de 65% dessas vítimas tinha mais de 60 anos. Foram contabilizadas pela polícia pelo menos 13.135 vítimas nas regiões de Iwate, Fukushima e Miyagi, sendo que as que morreram afogadas correspondem a 12.143 pessoas.
Outras 578 morreram esmagadas ou vítimas de ferimentos graves, e 148 morreram carbonizadas. Outras 266 vítimas não puderam ter a causa mortis identificada.
Ao todo, foram contabilizadas pelo governo japonês 13.895 pessoas mortas, e outras 13.864 desaparecidas.

Mitologia e esporte | O corvo de três patas?

japan_national_team.gif


O escudo da Associação de Futebol do Japão (www.jfa.or.jp) é também o emblema que estampa a camisa do time de futebol. Um corvo com três patas foi adotado como símbolo na década de 1930 pelo conselho de administração da mesma associação.
Desde então, além da seleção japonesa, as equipes de futebol que ganharem a copa do imperador e a da liga japonesa (J-League) também recebem em seus uniformes o escudo.


Na mitologia japonesa este corvo representa a ave do sol, mensageiro da deusa Amaterasu.
O nome Yatagarasu é a junção de duas palavras, sendo a primeira Yata que significa de grande tamanho e a segunda Garasu que vem de Karasu que significa corvo em japonês. De acordo com alguns estudos realizados, Yata é uma unidade que equivale aproximadamente a 1 metro e que era o tamanho estimado que alcançava esta ave lendária.


O MITO DE YATAGARASU

Segundo um mito japonês, um grupo de guerreiros se perdeu a caminho de Yamato (atual Nara),cidade na qual eles pretendiam conquistar. Durante o caminho, apareceu um enorme corvo de três patas vindo do céu e os guiou para o seu destino, onde conseguiram finalmente conquistar os seus objetivos.


yatagarasu.jpg
Foto : O mítico corvo de três patas


Devido a essa história, Yatagarasu é reconhecido como o animal que te leva a vitória. Foi exatamente por este motivo que foi escolhido como o símbolo do futebol japonês. O corvo do escudo da Associação de Futebol estende uma de suas asas e com uma de suas três patas domina uma bola. Ele expressa agilidade e força e as cores que traz consigo(amarelo e vermelho) simbolizam o sol.

 Fonte:nipocultura

19 de abr de 2011

Homem mais velho do mundo completa 114 anos hoje

Jiroemon Kimura, é considerado o homem mais velho do mundo após a morte no início do mês do americano Walter Breuning, completou nesta terça-feira 114 anos de existência.


Nascido em 1896, Kimura comemorou seu aniversário em casa com uma refeição tradicional. Ele vive sob os cuidados da viúva de seu filho e da viúva de seu neto, as duas com idades, respectivamente, de 82 e 58 anos.Pai de 7 filhos, sendo dois deles já falecidos, Kimura tem 14 netos, 25 bisnetos e 11 trinetos.

Fonte: AJC

A importância da pós venda no japão...


Podemos afirmar sem medo, que o pós venda no Japão é muito mais valorizado do que a própria venda em si.No japão quando os japoneses vão comprar alguma coisa em qualquer loja,seja eletrônicos, eletrodomésticos,roupas,carros...eles sempre escutam o famoso [Irashaimase - Seja bem vindo] isso é muito comum em qualquer lugar, basta entrar na loja para que algum funcionário o cumprimente dessa forma.

Para um estrangeiro que vai pela primeira vez ao japão, acha que o vendedor é simpatico demais ou esta paparicando você. Isso acontece,porque no brasil estamos acostumados a entrar na loja e olhar os produtos para depois procurar o vendedor e com ele tirar dúvidas ou comprar o produto escolhido.

No japão, no momento em que você entra em alguma loja, o vendedor já o cumprimenta e mostra que ele está ali para te ajudar no que você precisa saber em relação ao produto que quer comprar.Além disso, eles tentam prestar o melhor atendimento possível para poder agradar o possível cliente o suficiente para fazer com que ele volte a loja para fazer novas compras.

Outro ponto é o pós venda, no brasil quando compramos o produto e o mesmo vem com algum defeito, normalmente  esperamos muito para poder consertar o produto.No japão se voce leva um produto quebrado [ex: forno microondas] a pessoa que te atender ela ja vai fazer aquela cara de desespero e falar [sentimos muito por isso ter acontecido, vou providenciar um jeito de resolver o mais rápido possível esse problema] e não deixa você esperando por horas ou dias como no brasil.

Além disso em muitos casos, se o produto não tiver mais em estoque ou for demorar mais que o prazo normal de troca, entre 7 a 10 dias, o vendedor oferece a opção de devolução total do valor pago ou troca por outro produto semelhante.

O atendimento em bancos, correios e derivados no japão tambem é algo de se aplaudir, no banco ou correio por exemplo sempre tem 1 ou 2 funcionários na entrada para lhe guiar e orientar para onde deve ir para fazer a operação que precisa da maneira mais rapida e facil. Além disso, dificilmente se encontra filas enormes, pois os japoneses odeiam  esperar mais de 5 minutos para ser atendido em algum estabelecimento.

Enfim, o que podemos afimar,é que no japão, os funcionários desses estabelecimentos tem a plena consciência que o salário deles dependem da venda que eles fizerem, e por isso eles tentam agradar o máximo para conquistar o cliente e té-lo de volta em uma outra oportunidade.

17 de abr de 2011

Kyūdō (弓道) | O que é Kyūdō?

kyudo5.jpg
Imagem :  Eikenkai
 
O Japão possui diversas artes marciais, dentre elas, a mais antiga é o Kyūdō (弓道,O Caminho do Arco). A arte do arco e flecha, assim como outras artes japonesas, busca expressar o equilíbrio entre mente e espírito. Possui uma rica história e suas tradições são muito respeitadas no Japão. Muitos estudiosos da cultura japonesa consideram o Kyūdō como sendo umas das mais puras artes marciais japonesas Budô(武道、o caminho do guerreiro).
Influências da cultura zen-Budista e do shintoísmo são extremamente perceptível.Pois, pode-se notar as marcas do shintoísmo no respeito refinado demonstrado ao arco e ao dojô (local onde acontece a prática). Por outra perspectiva, a cultura zen-budista legou influências na filosofia e nos costumes do Kyūdō.
Não se trata de se concentrar num alvo exterior, mas o arqueiro e o alvo estão unidos, integra-se o alvo a si mesmo. É preciso esquecer o arco que atira, esquecer-se a si mesmo, fazer-se um com o arco e o alvo, esticar em direção ao infinito sem conhecer o ponto de chegada.
Mestre Toko Anzawa
Os praticantes do Kyūdō, na verdade, não se envolvem para apenas aprender a atirar flechas e sim para atingir seus objetivos e ter um melhor entendimento sobre si mesmo são alguns dos motivos que podemos destacar. Dominar bem os modos, compreender a cultura dessa arte e praticar as habilidades envolvidas são buscas constantes. O Kyūdō também mostra-se ser uma referência, para nós ocidentais, no intuito de melhor entendermos e aprender um pouco do pensamento japonês.

Fonte: nipocultura

16 de abr de 2011

Undoukai: A Gincana Japonesa!

Sendo uma atividade tradicional da cultura japonesa, o Undokai (ou Undoukai, 運動会), quando traduzido ao pé da letra, significa Gincana Poliesportiva. Na prática, é considerada mais como uma gincana esportiva familiar. Ao pensarmos em esportiva, a primeira coisa que vem na cabeça são os esportes como futebol, vôlei, basquete e etc, mas o que encontramos no Undokai são atividades como cabo de guerra, corridas de obstáculos e diversas outras brincadeiras. Familiar não quer dizer que é apenas interno a uma família, mas sim juntando várias famílias, desde as gerações mais jovens - netinhos - até as gerações mais experientes - os avós. O principal objetivo do Undokai é a confraternização, de um modo geral.

Os Undokai costumam durar um dia inteiro e costumam acontecer em maio, quando não está nem muito quente e nem muito frio,mas ninguém sabe se eles vão fazer esse ano, com tudo que está acontecendo...mas enfim,podem ser organizados por escolas ou instituições independentes, que preparam as atividades, materiais e premiações para o acontecimento do mesmo, o que pode levar vários meses antes de sua realização. As famílias levam suas refeições para almoçar no local, em forma de piquenique. 


ALGUMAS DAS ATIVIDADES DE UM UNDOKAI:

Gojyû meetoru kyoso - Corrida de 50 metros rasos para crianças.

Hyaku meetoru kyoso - Corrida de 100 metros rasos para crianças.

Riree - Corrida de revezamento 4 X 400 metros.



Ninin sankyaku - Corrida de 3 Pernas - Em duplas, amarra-se a perna direita de uma pessoa à perna esquerda da outra, que abraçadas pelos ombros ou à cintura correm juntas por 50 metros.

Yomesan sagashi - Corrida da "procura de noiva" - Um grupo de rapazes é formado na linha de partida, e um grupo de igual número de moças é formado na metade do percurso da corrida. Na metade da distância entre os dois grupos, cartões com os nomes de cada moça são deixados no chão. Os rapazes saem correndo; cada um pega um cartão e vai até o grupo das moças, procurando e chamando pela jovem cujo nome ele pegou. Assim que encontra seu par, ambos devem correr de mãos dadas até a linha de chegada.


Supuun reesu (do inglês "spoon race", corrida da colher com ovo) - Equilibrando um ovo numa colher de sopa em uma das mãos, as senhoras devem percorrer 50 metros, e chegar sem deixar o ovo cair e sem segurá-lo com a outra mão.

Karimono kyoso - Corrida do "empréstimo". - Meninos e meninas correm numa pista, que tem na metade do percurso cartões com o nome de um objeto comum (caneta, chaveiro, cinto, lenço, relógio de pulso, telefone celular, presilha de cabelo, pulseira, etc.). Cada um pega um cartão e vai até amigos e familiares, pedindo emprestado o objeto citado no cartão. Assim que alguém lhe dá o objeto, a criança volta ao percurso para terminar a corrida e devolve o objeto a seu dono.

Tsunahiki (cabo-de-guerra) - Misto, para grupos de crianças e grupos de adultos.



Takara sagashi (corrida da "caça ao tesouro") - Divide-se a distância a ser percorrida em 3 terços. A um terço da linha de partida, são colocados no chão cartões com o desenho de um objeto, a dois terços são colocados fora de ordem cartões com o nome de cada objeto correspondente. As crianças devem sair correndo, pegar um cartão desenhado, chegar aos cartões escritos e encontrar aquele que corresponde ao cartão desenhado. Assim que achar o cartão correto, deve terminar o percurso.

Taiya korogashi kyoso - Corrida de pneus - Participantes correm empurrando pneus com as mãos por 50 metros.

Kani kyoso - Corrida de caranguejo - Em duplas, abraçadas de costas e correndo de lado, percorre-se 50 metros.

Sakana tsuri kyoso - Corrida da pesca da garrafa - O "peixe" a ser pescado, na prática, é uma garrafa vazia colocada em pé na metade do percurso. Varas com um barbante e um prego de pelo menos 5 cm amarrado ao meio são deixadas no chão a alguns metros da linha de partida. Cada participante sai correndo, pega uma vara, chega às garrafas e deve, a dois passos de distância, fazer com que o prego entre na garrafa. Com a garrafa presa à vara pelo barbante com o prego, o participante deve completar o percurso sem deixar a garrafa cair.

Keisan kyoso - Corrida do cálculo - Cartões com uma proposta de cálculo simples sem o resultado são deixadas no chão, na metade do percurso (por exemplo, 5+3=, 7X2=, 10-8=, etc.). Munidas com um lápis, cada criança corre, pega um cartão, escreve o resultado e termina o percurso. Obviamente vence a criança que chegar primeiro com o resultado correto escrito no cartão.

Tamaire kyoso - Bolinhas ao cesto - Dividem-se as crianças em dois times, que correspondem às cores - geralmente branco e vermelho - de dezenas de bolinhas de pano recheadas com retalhos, do tamanho de bolas de beisebol. Uma pessoa - de preferência com um capacete na cabeça - segura no centro do campo um grande balde instalado na ponta de uma vara ou cano com aproximadamente 4 m de altura, no qual as crianças devem durante 5 minutos jogar e tentar encestar o maior número de bolas da cor de seu time. 


Fonte: animeforces


15 de abr de 2011

Os protetores do Buda

Portão do templo Horyuji abriga as estátuas Kongo Rikishi mais antigas do Japão
Portão do templo Horyuji abriga as estátuas Kongo Rikishi mais antigas do Japão

Em templos budistas, é comum encontrar um portão no qual há duas grandes estátuas, uma de cada lado. São consideradas representações dos guardiões do Buda, chamados Kongo Rikishi ou Niou. Hoje, eles podem ser vistos nos  grandes e mais bem conservados templos, pois muitos deles foram destruídos por incêndios, guerras e terremotos ao longo da história.

Ungyo tem a boca fechada e pose mais defensiva 
        Ungyo tem a boca fechada e pose mais defensiva.

Agyo é a estátua com boca aberta, enquanto Ungyo é a de boca fechada. Algumas representações mostram Agyo segurando um raio ou com o braço levantado como se estivesse em posição de ataque, enquanto Ungyo é mostrado com uma espada ou com o braço abaixado, em sinal de força latente.
A boca aberta significa “a”, o primeiro fonema do alfabeto japonês, e a fechada, “un”, o último. De acordo com a a tradição budista, isso significa vida e morte, começo e fim. Mas outras interpretações dizem que a boca aberta espanta os maus espíritos, enquanto a fechada abriga os bons. Por isso,como as estátuas ficam no portão de entrada dos templos, diz-se também que os maus espíritos, ao tentar entrar, ficam presos nesse ciclo.

 Agyo tem a boca aberta e pose mais ofensiva
                                  Agyo tem a boca aberta e pose mais ofensiva 

 Uma das mais famosas estátuas Kongo Rikishi do Japão pode ser vista no portão do templo Todaiji, na província de Nara. Feitas de madeira em 1203, com quase 8 metros de altura. As mais antigas, estão localizadas no templo Horyuji, também em Nara. As estátuas, feitas de barro e com quase 4 metros de altura, foram esculpidas em 710 – há mais de 1.300 anos.Em santuários xintoístas, ao invés dos Kongo Rikishi,são encontradas estátuas de cães-leões (chamados shishi ou komainu) ou raposas, geralmente com o mesmo significado de boca aberta e boca fechada.

Em santuários xintoístas, as estátuas são de komainu ou de raposas
Em santuários xintoístas, as estátuas são de komainu ou de raposas

Fonte: madeinjapan

14 de abr de 2011

Dois filmes japoneses concorrem à Palma de Ouro em Cannes; animação inspirada em vida de mangaká será exibida durante evento

A lista dos filmes que disputam a Palma de Ouro de melhor filme em Cannes já está disponível, e nela  estão dois filmes japoneses: Hanezu No Tsuki, de Naomi Kawase, e Hara-kiri: Death of a Samurai, de Takashi Miike.  Os dois filmes concorrem com outros 17 títulos de diretores estrangeiros como Pedro Almodóvar e Lars Von Trier.
O 64º Festival de Cinema de Cannes, na França, ocorrerá entre os dias 11 e 22 do mês que vem. Além dos concorrentes à Palma de Ouro, serão exibidos filmes na Mostra Un Certain Regarde (Um certo olhar), outros em exibições especiais e em sessões à meia-noite. E ainda outros cinco filmes que não concorrem ao prêmio serão exibidos no evento.
Tatsumi – Na Mostra Un Certain Regard será exibido a animação Tatsumi, de Eric Khoo. A produção oriunda de Cingapura é baseada na vida e obra do mangaká Yoshihiro Tatsumi, criador do termo “gekigá” e autor do mangá Gekiga Hyoryu (A Drifting Life) ganhador do Prêmio Cultural Osamu Tezuka em 2009 e de dois Eisner Awards em 2010.
Abaixo, um making of com o diretor Eric Khoo e o diretor criativo Phil Mitchell.


Fonte: veja

13 de abr de 2011

No dia do tsunami e do terremoto, passageiros de metrô levaram mais de 8 horas para voltar pra casa

 Uma pesquisa feita pela japonesa Weathernews Inc. revelou que os passageiros de metrô da região de Kanto, próximo a Tóquio, levaram em média 8 horas e meia para conseguir voltar para casa utilizando o transporte no dia em que o tsunami e o terremoto devastaram parte da costa do Japão. Os desastres ocasionaram atrasos no transporte coletivo e congestionamentos.
Os usuários de metrô passam, mais ou menos , 2horas e 20 minutos utilizando o transporte tanto para sair de casa quanto para voltar para casa. Os que possuem automóvel próprio levaram 4 horas e 10 minutos, mais de cinco vezes o tempo normal. Os que responderam que não sabiam o caminho de volta para casa  ou não tinham confiança para andar pelas ruas a pé corresponderam, respectivamente, a 11% e 15%. Cerca de 72% dos entrevistados disseram que seus locais de trabalho ofereceram cobertores, refeição e abrigos para os que não conseguiram voltar para casa.
As entrevistas ocorreram via celular, entre os dias 1º e 4 de abril, cerca de 28 mil usuários de transporte coletivo, sendo que 84% são passageiros de metrô. 

Fonte:  japanpopcuiaba

Criado nos EUA, Billiken faz sucesso no Japão

Segundo a lenda, quem esfregar as mãos nos pés do Billiken terá um desejo atendido


Billiken é um personagem muito parecido com um elfo, geralmente retratado sentado com os braços juntos do tronco. Os pés são grandes, com os dedos voltados para cima. Embora ninguém saiba ao certo sobre sua origem, a versão mais aceita é que ele foi criado pela americana Florence Pretz em 1908. Pretz, uma professora de arte e ilustradora, teria visto a imagem em um sonho.
Depois disso, Billiken ganhou muita fama nos Estados Unidos, inspirando a confecção de amuletos de boa sorte. Ela era chamado de “o deus das coisas como elas devem ser”, mas sempre em tom de brincadeira. Nos anos seguintes, tornou-se mascote de muitas universidades do país e apareceu como amuleto no filme “Ponte de Waterloo”, de 1940.

Billiken ficou conhecido no Japão também. Retratado de forma semelhante às estátuas budistas, há uma grande imagem em uma esquina próxima da Tsutenkaku Tower, uma conhecida atração turística de Osaka. De acordo com a  lenda,Billiken realiza o desejo de quem esfrega as mãos em seus pés.

No Japão, além de amuletos e doces, Billiken já foi tema de um filme, a comédia “Biriken”, de 1996, dirigida por Junji Sakamoto. Além disso, também apareceu no game Ryu ga Gotoku 2 (para PlayStation 2), que se passa em Osaka.

Fonte: madeinjapan

12 de abr de 2011

EMI leiloa objetos autografados e itens especiais de artistas para ajudar vítimas de desastre no Japão

A gravadora EMI abriu um perfil no site de leilões EBay para colocar à venda itens especiais relacionados aos artistas de seu catálogo. Os lances começaram no dia 5 de abril  e vão até o dia 21, e todo o dinheiro arrecadado com as vendas dos produtos será destinado à Cruz Vermelha Britânica, que presta auxílio às vítimas do tsunami e terremoto que atingiram o Japão no dia 11 de março.
Entre os diversos produtos ofertados para lances, estão instrumentos, álbuns, itens de colecionador, aulas de canto ou de piano com artistas, ingressos para shows ou jantares privados com alguns cantores e bandas, partituras originais e vestimentas, entre outros produtos. Todos os lances devem ser feitos em dólares e estão abertos para compradores de qualquer país, desde que tenham cartão de crédito ou cadastro no Fed Ex. Caso vença o leilão, o comprador terá 3 dias úteis para efetuar o pagamento. Junto ao produto, a EMI emitirá um certificado de autenticidade. Para os que fizerem lances iguais ou superiores a mil dólares, é preciso passar por uma pré-qualificação.

Alguns dos produtos em destaque: violão Taylor T5 usado e autografado por miyavi; kit dos Beach Boys com box do álbum Pet Sounds, certificado do prêmio concedido pela Recording Industry Association of America – RIAA – para o álbum, LP de platina autografado por Brian Wilson, Al Jardine, Bruce Johnston e Mike Love com o nome do vencedor do leilão e um quadro com a letra de God Only Knows escrita à mão e autografada por Brian Wilson; violão Epiphone Hummingbird autografado pelo ator Jeff Bridges; guitarra Gibson Les Paul  Appetite for Destruction autografada por Slash; e o trampolim em forma de cupcake usado pela cantora Katy Perry no California Dreams Tour.

Violão usado e autografado por miyavi

Kit autografado pelos integrantes do Beach Boys


Violão autografado por Jeff Bridges


Trampolim em forma de cupcake de Katy Perry

Entre os artistas brasileiros com itens à venda, estão Marisa Monte, Diogo Nogueira, Skank e Teresa Cristina, com álbums ou camisetas autografados.

Fonte:japanpopcuiaba

10 de abr de 2011

Dirigindo na zona de evacuação de Fukushima

O governo japonês declarou estado de evacuação no dia 12 de março para as pessoas que moram a 20km da Usina Nuclear de Fukushima.Desde de então, é difícil de ver alguém por lá.Um jornalista japonês chamado Tetsuo Jimbo, se aventurou por toda área de evacuação neste domingo e claro gravou tudo.

Ele disse que dentro da zona de evacuação,casas,apartamentos,estradas e pontes,continuam intactas e que os donos deixaram para trás seus animais, confira abaixo vídeo: 


Mangás indicados ao Eisner Awards 2011; Urasawa indicado a melhor escritor/autor


O tradicional Eisner Awards anunciou nesta semana os indicados às 28 categorias do prêmio, incluindo 6 mangás , que competirão nas categorias Melhor adaptação, Melhor edição norte-americana de material estrangeiro: Ásia e melhor série, sendo que nesta última o indicado é o mangá 20th Century Boys, de Naoki Urasawa, mangaká que também concorre na categoria Melhor escritor/autor. A premiação diz respeito aos materiais que são publicados pelas editoras norte-americanas.
Veja abaixo a lista dos mangás indicados:
Melhor adaptação


  • 7 Billion Needles (70 Oku no Hari) – Nobuaki Tadano, Editora Vertical

  • Melhor série

  • 20th Century Boys – Naoki Urasawa, Viz Media

  • Melhor edição norte-americana de material estrangeiro: Ásia

  • Ayako – Osamu Tezuka, Editora Vertical


  • Bunny Drop – Yumi Unita, Yen Press


  • A Drunken Dream and Other Stories – Hagio Moto, Fantagraphics


  • House of Five Leaves (Sarai-ya Goyou) – Natsume Ono, Viz Media


  • 20th Century Boys – Naoki Urasawa, Viz Media


  • Fonte: ANN

    7 de abr de 2011

    As cerejeiras não sabem da tragédia...

    ... e belas!!!
         Foto por Karina Almeida 

    Você não precisa ir aos parques mais famosos do Japão para admirar a beleza das cerejeiras ("sakura").
    As cerejeiras estão em todo lugar! Na praça, na esquina, na casa da vizinha, na rua de casa e por aí vai.

     Foto por Karina Almeida

    São poucos os bairros no Japão que não têm um local convidativo para fazer "hanami", ou seja, o típico piquenique aos pés das cerejeiras.
    Neste ano, infelizmente,devido ao desastre ocorrido...o país não está em clima de festa. Muitos festivais típicos da primavera foram cancelados e os pontos turísticos não estão lotados como antes.

    Fonte: otempo

    Mania nacional


    Foto: Reprodução
    Reprodução

    Há alguns anos no Japão,algo tem se tornado mania nacional,tendo alguns segundos livres , seja para atravessar a rua, para esperar o ônibus, dentro dos trens, nos restaurantes, nas filas dos banheiros, em toda a parte — as atenções se voltam para o celular.

    Primeiro foram as mensagens SMS, depois o rádio, depois o acesso a internet e agora mais recentemente (mas nem tão recentemente assim) a televisão digital.
    Lá, pelo menos 40% da população assiste televisão também em plataformas móveis, tendo o celular como a grande vedete.

    Fonte: clicrbs

    5 de abr de 2011

    Jackie Chan arrecada em três horas mais de 3 milhões de dólares em prol das vítimas de tragédia no Japão; artistas asiáticos gravam canção em mandarim e japonês

     O astro Jackie Chan arrecadou em três horas mais de 3 milhões de dólares em doações, destinadas para as vítimas do terremoto e do tsunami ocorridos no Japão no dia 11 de março. Grande parte do dinheiro foi arrecadada com o show organizado no dia 1º de abril em Hong Kong, que contou com a presença de vários artistas asiáticos.

    Os clipes abaixo, com versões em mandarim e japonês, são da música Ame ni mo Makezu, baseada em poema do escritor Kenji Miyazawa



     

    Chan ligou para seus amigos da China, Coreia, Japão e demais países asiáticos para participarem do concerto. Para sua surpresa, mais de 300 artistas se ofereceram para o show, que contou também com a participação via satélite de Lionel Richie, que estava na Austrália e é amigo do ator. Todos os artistas que compareceram tiveram suas despesas pagas por Chan, que ainda doou 643 mil dólares para a própria campanha.

    Jackie Chan disse que o show levou 11 dias para ser planejado, e que havia um certo receio em realizá-lo no dia 1º de abril, dia da mentira em muitos países.
    O astro ainda disse que cerca de 40 fãs japoneses de seu fã-clube estão desaparecidos após o desastre, e que os demais integrantes estão mantendo o ator informado da situação.

    Não é a primeira vez que Jackie Chan se empenha para ajudar vítimas de desastres: em 2005 o artista realizou um shows em prol das vítimas do tsunami do Oceano Índico, e em 2009 realizou outra campanha para as vítimas do terremoto em Sichuan, na China.

    Arranha-céus acenderam luzes brancas e vermelhas para lembrar as vítimas de desastre japonês

    Arranha-céus como o Empire State  nos EUA, o Menara  na Malásia, o CN Tower no Canadá e o N Seul na Coreia do Sul acenderam na segunda-feira luzes brancas e vermelhas para lembrar as vítimas do terremoto e do tsunami que atingiram o Japão em março.


    É a terceira vez que o Empire State acende as luzes brancas e vermelhas, sendo a primeira quando o Japão venceu o World Baseball Classic em 2009, e a segunda em 2010, quando a chegada da missão diplomática japonesa em Nova York completou 150 anos.

    Fonte: Breitbart

    4 de abr de 2011

    Você sabe se comportar na mesa?

    Sabemos que a culinária japonesa é bastante apreciada,mas já a etiqueta japonesa não é tão disseminada assim.

    Para não fazer feio à mesa,caso algum dia você vá ao Japão, leia algumas dicas (regras) de boa conduta na hora das refeições:

    1) Nunca corte o sushi, isso seria uma ofensa ao sushiman.
    2) Sushi deve ser degustado numa bocada só. Nada de morder antes de colocá-lo todo na boca.
    3) Nunca sirva um convidado com a mão esquerda, pois representa que ele é inimigo.
    4) Jamais espete o hashi na verticar, isso na cultura japonesa se refere à morte.
    5) Lamber a ponta do hashi também é falta de educação.
    6) O hashi deve ser apoiado ao suporte próprio para ele. Não cruze os hashis, eles devem permanecer paralelos.
    7) Ao contrário do que muitos dizem, arrotar durante as refeições não é costume japonês, é uma grande falta de educação.
    8) O Hashi deve ser segurado do meio para cima – até para melhorar o movimento, caso contrário ficará difícil de pegar a comida.
    9) Passar a comida de hashi em hashi é bom. É sinal de boa educação. 

    Fonte: clicrbs

    2 de abr de 2011

    Kafunsho – Alergia a pólen no Japão


    A primavera chegou no Japão e com ela os pólens dos cedros também. E quando esses poléns aparecem uma alergia sempre chega por perto chamada Kafunsho (花粉症). No Brasil essa alergia é conhecida como febre do feno ou polinose.

    Há mais de 60 tipos de pólens que  podem causar essas reações alérgicas devido ao pólen dos cedros (”sugi”) e ciprestes(檜 /hinoki), que são muito abundantes no Japão e por esse motivo é o país que mais sofre com esse tipo de alergia.

    Pesquisas indicam que cerca de 20 milhões de pessoas no Japão (1 em cada 5) sofram todo ano com a polinose. Mas para aquelas pessoas mais sensíveis, essa alergia pode ocorrer durante o ano todo, mas é mais comum no período entre Fevereiro a Abril, época que a primavera aflora no Japão.


    Sintomas do kafunsho

    Se caracteriza por rinite, espirro, dor de cabeça, tosse, coceira na garganta e nos olhos (conjuntivite alérgica), coriza e obstrução nasal, pressão nos ouvidos, mal estar e, nos casos mais graves, febre.
    E muitas vezes acaba sendo confundido com gripe, devido aos sintomas serem parecidos e por aparecer em alguns casos ainda durante o inverno.

    Pessoas nascidas no Japão podem sofrer essa alergia desde a infância,enquanto que os estrangeiros, após cerca de 1 ano de permanência no Japão,começam a apresentar sintomas. Isso acontece porque ficam imunes durante a primeira polização, pois o organismo precisa fica exposto ao pólen por alguns meses para desenvolver a sensibilidade.

    Para tratar o Kafunsho (alergia a pólen)

     Ao detectar os sintomas,você deve ir ao setor de otorrinolaringologia(jibika,em japonês) de alguma clínica ouhospital.Assim um especialista poderá identificar o tipo de alergia e receitar os medicamentos adequados.Nas farmácias (yakkuokyu / 薬局) ou drogarias encontrará vários produtos como Sprays nasais (tenbi yaku / 点鼻薬), colírios (me-gusuri / 目薬), assim como também máscaras (masuku/マスク). 

    Fonte: japaoemfoco

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...