29 de abr de 2012

Showa no Hi ( 昭和の日)

O Showa no Hi é o primeiro dos 4 feriados nacionais que compõem o Golden Week (Semana Dourada), como comentado na postagem anterior. Realizado no dia 29 de abril para comemorar o aniversário do ex-imperador da Era Showa, o Hirohito, imperador que reinou o Japão antes, durante e após a Segunda Guerra Mundial. E o objetivo do feriado é fazer uma reflexão sobre os tempos turbulentos no qual as terras nipônicas passou e como conseguiram se recuperar.

Reinado do imperador da Era Showa

Durante seu reinado o Japão era uma grande potência econômica e militar. Mas após aliar-se com os alemães na Segunda Guerra Mundial, o Japão ficou bastante fragilizado com as batalhas e acabou se rendendo, o que fez com que o país tivesse grande parte do seu território destruído, milhares de pessoas mortas, fome e miséria por toda parte.

Hirohito perdeu seu poder em 1950, devido a imposição dos aliados, instituindo uma monarquia constitucional. Aqueles que eram contra o seu governo, acreditavam que ele estava negando seu poder divino e isso não era digno de alguém que exercia o cargo de imperador. Assim ele abandonou o cargo, assumindo em público sofrer de câncer.

Não é a toa que a Era Showa é considerada uma das mais importantes da história do Japão, ficando conhecida também como a "Era da Paz Iluminada".



Fonte: japaoemfoco e japaolegal

28 de abr de 2012

Golden Week


Amanhã começará a Semana Dourada (Golden Week) no Japão. E como comentamos ano passado é uma semana de folga para os japoneses, é como um feriadão nosso, que compreende o final de abril e início de maio.
Em japonês, o Golden Week recebe ainda as seguintes denominações: Ogata renkyū (大型) ou Shukan ogon (黄金周) período em que aproveitam para curtir a família e a natureza.
A Golden Week é uma combinação de 4 feriados nacionais:

• 29 de abril:  Showa no Hi (Dia do Showa)


• 04 de maio: Midori no Hi (Dia Verde)




Kancho


Kancho é uma antiga arte, uma brincadeira, que tem como "técnica" a seguinte forma: junte as duas mãos, com os dedos indicadores esticados, e ataque de surpresa o seu amiguinho distraído lá na parte de trás, na região anal.
Kancho não pretende ser vulgar ou malvada, na verdade ela é raramente usada de modo antagônico, como um nipple twister ou um head noogie, mas sim como um tipo de afeto, semelhante aos atletas dando tapinhas uns nos outros.
Os professores estrangeiros no Japão são frequentemente alvos de Kancho. Isto é em parte devido ao seu status de celebridade nas escolas.

Existem quatro tipos principais de kanchoers:

  1. Crianças e adultos;
  2. Adolescentes;
  3. Casais;
  4. Assalariados bêbados.
E existens algumas razões para o Kancho ser praticado pelos japoneses

  • Kancho é divertido!
  • Kancho é parentesco, tem relação com afinidade. Significa que é amizade.
  • Para crianças pequenas, qualquer adulto é mais alto, logo sua bunda é alvo fácil.
  • Kancho é uma comunicação. Eu sou tímido para falar com alguém, mas estou feliz por "Kancho-los".
  • Bem, se a tensão acumula-se dentro de você, tem que ir a algum lugar.
  • Kancho faz se sentir bem. Já tentou isso?
  • Os japoneses tendem a ser "anal". Ou não!?

Segue um video bem divertido, em inglês, sobre A arte do Kancho.



Fonte: Kanjo

26 de abr de 2012

Tatuagem Tebori

Esse é o método usado para estampar os membros da Yakuza.
As tatuagens tradicionais japonesas são um emaranhado espetacular de um rico projeto. É uma arte que amadureceu até a perfeição.

Ela se originou de pinturas em blocos de madeira do antigo período  Edo (1804-1868). A técnica japonesa se chama tebori que quer dizer entalhar, gravar com as mãos.
Usa-se agulhas enroladas na ponta de uma vara de bambu para inserir tinta de
carvão vegetal na pele. A pele viva é a solicitação dessa  estética na qual a técnica tebori se desenvolveu dentro do chiaroscuro (claro-escuro), colorindo e sombreando a tatuagem japonesa que conhecemos.
No período mais recente   Edo (séc. XVIII), o Japão cresceu bastante, e foi nessa época que começou a surgir a tatuagem como uma forma de arte. Utilizando imagens de aquarelas tradicionais, pedaços de madeira e figuras de livros como modelos, e como recompensa de muita paciência e dor,  surgia uma belíssima tatuagem. Para entender a tatuagem japonesa é preciso conhecer sua história, e também continuar preservando as tradiçõs por traz delas

O Tebori é totalmente artesanal , demora muito e é bem trabalhoso, poucos tatuadores fazem esse tipo de procedimento no Brasil, é um metodo que a tecnologia ultrapassou mas que a tradição não deixa morrer. E é feita em diversas sessões.
Existem tatuadores que trabalham apenas com esse tipo de tatuagem e conseguem fazer verdadeiras obras de arte na pele e não deixam a perder em nada para as melhores máquinas do mercado. 



Fonte: Ainanas

23 de abr de 2012

Shakuhachi

Flauta japonesa vertical com 5 buracos, feita da base do caule de bambu, tem cerca de 54,5 cm de comprimento.

 A origem de shakuhachi está ligada ao monge budista Fukeshu, do Período de Morokoshi da China, e no Japão teria sido introduzido por Kakishin, um monge zen-budista da Era Kamakura (1185-1333), mas como não há uma prova circunstancial não se considera como um fato histórico.
Somente a partir do século 17 foi possível confirmar a existência do shakuhachi no budismo Fukeshu. O shakuhachi era utilizado nas três seguintes situações: 1) Fazia parte do culto budista; 2) Mendicância religiosa; 3) Um meio para a prática zen-budista. Nessa época nasceram as músicas zen e para meditação para serem tocadas com shakuhachi, que só os monges tinham permissão para executá-las.
 



20 de abr de 2012

Os Templos do Shinto

O Shinto é conhecido como a mais antiga crença, ou mesmo a original, do Japão. Na terra do sol nascente, uma cultura milenar tem suas histórias e lendas confundidas em um mundo de kamis, entidades, heróis, vilões e outras criaturas. O Shinto tem seus primeiros registros escritos no Kojiki e no Nihon Shoki, os dois livros históricos mais antigos do Japão.
O propósito dos templos Shinto é muito amplo, mas geralmente são locais onde as pessoas podem orar. A maioria das visitas ocorrem em certas comemorações e quando pessoas querem pedir algo. Alguns dos templos têm propósitos específicos, como os direcionados a mulheres grávidas que querem dar a luz de modo seguro, outros para pescadores retornarem seguros do mar, e há até mesmo aqueles para conseguir satisfação sexual. Também não é incomum casamentos ocorrerem em templos Sinto. Casas (mais tradicionais) e escritórios podem ter pequenos templos para prevenir contra espíritos ruins e proteger o local de incêndios, terremotos e tufões, por exemplo. A maior parte deles é tido como morada da Deusa Amaterasu, a Deusa do Sol.

Os templos Shinto são construídos de acordo com princípios sagrados. Eles geralmente são virados para o sul e algumas vezes para o leste, mas nunca para o norte ou oeste que são tidos como de má sorte segundo os princípios do  Feng Shui (chinês). Eles são feitos para se harmonizar e se encaixar na natureza ao seu redor. Geralmente são pequenos e algumas vezes estão tão entranhados em meio à natureza que são difíceis de serem vistos.
Há cerca de 80 MIL templos Shinto no Japão. Quase todos os bairros tem um. A maioria está associada a um kami ou divindade específico. Mas isto não é uma regra, não é difícil encontrar tempos aos quais foram associados mais kamis ou divindades por haverem poucos visitantes.
Nos tempos antigos não haviam templos, os que acreditavam na crença se reuniam e faziam pequenos rituais próximos a objetos sagrados que podiam até mesmo ser árvores. Os primeiros templos eram locais marcados com cordas especiais, as shimenawa, e tiras de papel branco, gohei.
Os templos modernos podem ter vários formatos e tamanhos. Acredita-se que a arquitetura da maioria deles é baseada em casas de madeira que datam de tempos pré-históricos. Os que seguem somente esta arquitetura são conhecidos como 'estilo "puro"'. O melhor exemplo é o templo em Ise.

A estrutura de um templo geralmente contém:

- Elementos dos templos Chineses, como colunas pintadas de vermelho e branco, telhados de telha ao estilo chinês com beirais arrebitados e esculturas e ornamentos detalhados abaixo dos beirais. Isto começa a existir após o Budismo ser introduzido no Japão no século VI.

- Shimegawa e gohei, mencionados anteriormente. Podem estar sobre a entrada dos templos principais para marcá-los como sagrados. A mais grossa shimegawa do mundo está no templo de Izumo, um dos mais antigos do Japão. Ela pesa seis toneladas e é feita de feixes de arroz grossos como o corpo de uma pessoa.

- As entradas geralmente são guardadas por duas estátuas de pedra de leões chineses ou cachorros coreanos. Costumam estar em pares uma de frente para a outra e em cada lado da entrada. Uma com a boca aberta, trazendo boa sorte, e uma com a boca fechada, capturando o mal. No caso dos templos relacionados ao arroz, são raposas que guardam a entrada, animais inteligentes considerados como mensageiros de kamis e símbolos da fertilidade.
- Portais Tori, vermelho-alaranjados, simbolizam que a pessoa está para entrar em um lugar sagrado e que deveria agir de acordo. São dois pilares com duas travessas no topo. Templos maiores tem Toris maiores e templos com maior espaço possuem vários destes.

Antigamente os portões eram feitos sempre de madeira com a cor natural, mas hoje em dia podem ser compostos de madeira, pedra, bronze e mesmo concreto. Um portal pintado de vermelho-alaranjado mostra influencias do Budismo chinês.


- O caminho para um templo é geralmente demarcado por lanternas de pedras doadas por adoradores do templo.
- Choozuya, que é um pequeno pavilhão com água que fica no hall principal. As pessoas vão ali lavar as mãos e bocas antes de entrar no templo principal para orar.

Os templos Shinto podem ser vistos em quase todos os filmes, animes, mangas e afins. São parte da cultura japonesa tradicional e estão muito presentes no dia a dia. É muito comum pessoas de todas as idades irem a eles, apesar de muitos destes locais acabarem sendo abandonados. Se um dia forem a um templo shinto, aproveitem muito a qualidade visual e a paz do local. Lembrem-se de se comportarem da maneira devida e de respeitarem o local e as pessoas que possam estar ali, estes não são locais para ficar gritando e tendo certas atitudes que são comuns em nossa cultura.

Esperamos que tenham gostado.

17 de abr de 2012

Nue

O nue (鵺) é uma criatura lendária encontrada no folclore japonês. Possui a cabeça de um macaco, o corpo de um tanuki (tipo de cão guaxinin), as patas de um tigre e uma cobra no lugar da cauda. Algumas vezes ele é descrito com asas, o que pode vir do fato de, nas lendas, ele sempre descer do céu, normalmente acompanhado de nuvens negras e raios.
 Umas das lendas mais famosas sobre esta criatura é que um imperador não conseguia dormir devido a barulhos que vinham do telhado. Os servos chamaram um samurai e foram para o telhado de noite, e logo viram uma nuvem negra e com raios se aproximar. O samurai atirou uma flecha entra os olhos do monstro, fazendo-o cair. Os servos correram até a criatura e a golpearam até estar morta.
Dizem que o corpo do nue foi jogado ao mar, e depois achado em uma enseada. Os moradores, com medo de uma maldição, enterraram a criatura em um monte. Até hoje, o ponto é um local turistico, e dizem que o nue assombra o local até os dias atuais.

15 de abr de 2012

Tatuagem

 A história da tatuagem no Japão é ambígua e bastante irônica. Na época feudal as tatuagens eram usadas como forma de punição, ser tatuado para os antigos japoneses era uma marca negativa eterna em seus corpos. Um simples traço no braço era considerado pior que a morte. Tempos depois, na tenebrosa Era Tokugawa, a repressão era tão intensa que ser considerado um criminoso era sinônimo de resistência, a tatuagem entrou no pacote e se tornou indispensável no corpo daqueles que queriam protestar.
Quando surgiu a Yakuza, famosa máfia japonesa, a tatuagem foi usada como sinal de lealdade e sacrifício à organização e estava presente no corpo de todos os membros, o principal desenho é um dragão que cobre as costas e abraça o corpo inteiro.
Para eles, colocar tatuagem tem três significados, na verdade.
  - O primeiro é comprovar para o chefe e outros membros que ele é um cara corajoso, que aguenta a dor durante o processo de fazer tatuagem.
  - O segundo é comprovar que ele é revoltado em relação à sociedade comum e demonstra fidelidade ao grupo de Yakuza que ele pertence.
  - O último é fazer com que os cidadãos saibam que ele é Yakuza através da tatuagem, apesar de não ter oportunidades de mostrá-la na vida cotidiana.
De qualquer maneira, a tatuagem é, geralmente, um símbolo da Yakuza.
No Japão, há banheiras públicas onde o público comum pode tomar banho pagando uma entrada. Normalmente neste tipo de estabelecimento, há uma placa avisando que é proibida a entrada de pessoas que possuam tatuagem, o que impediria a entrada de Yakuza que pode brigar com outros clientes dentro da banheira.
Ou seja, se um estrangeiro que tem tatuagem for à banheira pública no Japão, pode não conseguir entrar por ter tatuagem em seu corpo.
Não estamos acostumados a esse tipo de situação, pois os brasileiros não se importam com o que as outras pessoas fazem. Com isso a tatuagem acabou se banalizando por aqui. É o nosso lado individualista, que não pensa mais no que isso poderia afetar o próximo ou até mesmo a sociedade.
No Japão, hoje em dia, esse individualismo está tomando conta da sociedade também. Mesmo assim, a tatuagem ainda não é aceita da mesma forma que para nós.
E com isso, muitos, geralmente os japoneses, se surpreendem com visões totalmente diferentes sobre a mesma coisa nas duas sociedades.



12 de abr de 2012

Sakura - Lenda

Diz a lenda que Sakura é uma adaptação do nome da princesa Konohana Sakuya Hime que teria caído do céu nas proximidades do Monte Fuji e teria se transformado nesta bela flor.
Acreditam se também que tem sua origem na cultura de arroz. A parte Kura significa deposito onde se guardava arroz, alimento básico dos japoneses considerado dádiva divina.

Segundo essa outra lenda, vivia há muitos anos em Iyo um samurai muito velho; tão velho que já nem tinha família nem amigos vivos. O único ser a que ainda podia dedicar o seu amor era uma velha cerejeira que os seus antepassados tinham plantado e à sombra da qual o velho samurai tinha brincado enquanto criança. A mesma árvora em cujos ramos os membros da sua família tinham pendurado, durante gerações e gerações, pequenos pedaços de papel onde haviam escrito belos poemas de louvor à velha árvore.
Mas um dia a velha cerejeira começou a definhar e depois morreu. Os vizinhos do samurai vieram plantar uma nova cerejeira, mas para o velho samurai a morte da árvora era um sinal de que a sua vida também estava a chegar ao fim.

Então, dirigiu-se à cerejeira cujo tronco ainda se erguia altaneiro no meio do jardim familiar e fez um último desejo: a cerejeira deveria florir ainda uma última vez. E o velho samurai prometeu que se o seu desejo fosse realizado, esse seria o momento para ele próprio morrer também. A velha cerejeira voltou a dar flor, embora fosse Inverno, e ali mesmo sob os seus ramos o velho samurai cometeu harakiri. O sangue ensopou o chão e chegou às raízes da velha cerejeira, e ela floriu uma vez mais.
Segundo ainda a lenda, desde esse dia a velha cerejeira dá flor todos os anos pelo aniversário da morte do samurai. Dizem que é no sexto dia do primeiro mês do ano, bem mesmo no coração do Inverno.



11 de abr de 2012

Hotei

Deus da Satisfação e Alegria
 
Hotei tem um rosto rechonchudo, é muito sorridente e tem orelhas grandes (chamadas fukumimi = orelhas da felicidade). Geralmente é representado com uma enorme barriga e roupa caindo pelos ombros. Seu abdômen avantajado não simboliza a gula, e sim a satisfação. Para os japoneses, o hara (ventre) representa o coração e personalidade; portanto seu grande hara representa a grandiosidade de seu espírito. Dizem que Hotei tem recursos para auxiliar aqueles que queiram atingir a serenidade completa e sabedoria búdica.

Carrega sempre um grande saco nas costas, que nunca fica vazio, pois ele recebe até mesmo as oferendas de peixes, proibidas pelos mandamentos, para alimentar os pobres e os necessitados. Ele também segura um leque chamado oogi (dizem que é um leque mágico que realiza desejos). É associado a uma pequena criança, perto de seus pés.
Supostamente, ele é o único membro dos sete deuses, baseado em um personagem verdadeiro e, provavelmente o mais conhecido fora do Japão. Hotei foi um excêntrico sacerdote chinês zen indigente, chamado Pu-tai, que se tornou um imortal, ao cruzar o Mar do Japão. Diziam que era a encarnação do Bodhisattva Miroku. Mas Hotei ou Pu-tai (literalmente sacola de pano ou glutão) é mais conhecido como o obeso Buda Risonho.

 Hotei é considerado como o deus protetor dos profissionais de restaurantes e bares. Quando alguém come ou bebe demais, às vezes, dizem que é influência de Hotei. Por gostar muito de sumo, também é cultuado como deus desse esporte.
Acredita-se que esfregar a sua barriga, traz sorte e contemplar sua figura espanta as preocupações.



10 de abr de 2012

Hanami: uma bela tradição japonesa

Os japoneses sempre foram muito sensíveis por natureza, muitos costumes e tradições, demonstram o respeito que eles têm pela natureza. Isso fica evidente em muitos aspectos, desde da culinária, o estilo religioso à filosofia zen.

E um dos costumes tradicionais em relação a contemplar a natureza é o Hanami, que significa apreciar flores. Não importa qual seja o local, parques, templos, zoológicos, beira de rios e até mesmo nas ruas é possível admirar, fotografar ou até fazer piqueniques, sob as lindas cerejeiras. Por isso é comum encontrar pessoas guardando lugares próximo as árvores, para amigos, familiares ou colegas de trabalho, para curtir essa maravilha da natureza, comendo, bebendo, dançando e conversando.
O costume do Hanami se iniciou em torno dos anos 900. A festividade na época era reserva somente à aristocracia, que se reunia para escrever poemas e cantar sob as cerejeiras (sakuras). Mas somente durante a era Edo (1688- 1704) se popularizou, tornando-se a maior tradição dos japoneses.

Para os japoneses as flores de cerejeiras refletem a ideia de pureza e simplicidade das pessoas. Outra característica da flor de cerejeira é a fragilidade. Pois desabrocham em um dia e pouco tempo depois se dispersam ao vento, fazendo bonitos tapetes no chão. 

Quando as belas sakuras começam aparecer, isso significa que o inverno está chegando ao fim, dando início a primavera. E o mais legal de tudo é que a Agência Meteorológica Japonesa sempre informa o momento do florescimento em cada região.

Nós deixamos vocês agora, com um vídeo recente, que vocês poderão sentir um pouco de como é o Hanami:

9 de abr de 2012

Anéis Robôs

A Universidade de Keio, no Japão, exibiu um protótipo de robô-anel, são três anéis que imitam movimentos de olhos e boca e que estão sendo produzidos por um grupo de pesquisa de lá.

"Quando você usa este robô na sua mão, ele forma um meio de comunicação usando a mão. Então o robô serve como um dispositivo para melhorar a maneira pelas quais as pessoas usam suas mãos."

"O robô tem motores eletromagnéticos  nos olhos, os quais são controlados eletricamente. Esta parte de baixo contem um micro-controlador para mover os olhos e uma bateria."

"Até agora os robôs geralmente se comunicam com as pessoas de certa distância. E isto também vale para robôs como AIBO e androides. Até agora, robôs não foram acoplados ao corpo humano. Nos desenhamos este robô em forma de anel como um dispositivo de comunicação para o entretenimento, como um acessório que é engraçado de usar, para ajudar rodos vestíveis além do estágio de pesquisa."

No presente, o robô é controlado usando um micro-controlador com propósito especial e um PC. Mas futuramente melhorias devem possibilitar ele notar emoções da pessoa que o usar e das que estiverem próximas, assim poderá se mover automaticamente.

"Antes de tudo, este aparelho lembra um brinquedo. Então nós queremos fazê-lo mais parecido com um personagem, como quando crianças e os pais fazem brincadeiras com dedos. Isto iria possibilitar uma nova forma de brincadeira interativa. Nós também gostaríamos de incorporar este robô à maneira pela qual as crianças usam as mãos delas para se comunicar com outras crianças."


E aí, isto não trás um novo significado à expressão "Fale com a minha mão"? x.x'

7 de abr de 2012

Ninjutsu - "A Arte Ninja"

Ninjutsu, também chamado de ninpoo, é a arte marcial, estratégica e tática não convencional de guerra e guerrilha, como também a arte da espionagem, supostamente praticada pelos shinobis (conhecidos fora do Japão como ninjas - vejam o post sobre Ninjas no blog clicando aqui.)

Yuffie, personagem do jogo Final Fantasy 7

Há diversos estilos de "ninjutsu moderno" e a linhagem histórica destes estilos é disputada. Algumas escolas e mestres dizem ser "os únicos e legítimos herdeiros" da arte, mas ele não é totalmente centralizado com as artes marciais modernas a exemplo de judô ou do taekwondo. Tagakure-ryu é tido como o registro mais antigo de ninjutsu sendo datado como dos anos 1500.

A palavra ninjutsu é formada por dois caracteres/kanjis, nin e jutsu. Nin é composto por outros dois, o superior é "ha" ou "jin", significando "ponta da espada"; o inferior é "kokoro" ou "shin", que significam respectivamente "coração" e "alma". A combinação significa discrição, sigilo, resistência, perseverança e paciência. Já jutsu signigica arte ou técnica. Quanto à palavra "ninpoo", "ho" significa  conhecimento, principio, lei ou sistema e quando usado junto do prefixo "nin" carrega o significado de "arte ninja", "ordem superior" ou "ninjutsu".

O Ninjutsu foi desenvolvido como um conjunto de técnicas utilizadas para sobreviver em um Japão faudal de guerras. Os shinobis usavam esta arte para garantir sua sobrevivência em meio a um caos político violento. As técnicas envolviam métodos par reunir informações e técnicas para prevenção, desorientação dos inimigos e para que quem usasse não fosse detectado por outras pessoas. Também podia estar incluso treino de disfarces, fuga, ocultação, arco e flecha e outros...

No Togakyure-ryu foram instauradas pela primeira vez as "dezoito habilidades" definitivas para todas as escolas de ninjutsu proverem um treinamento 'total' do guerreiro em várias artes de luta. Estas eram chamadas de "Ninja Juhakakkei" e frequentemente eram estudadas com o "Bugei Juhappan" ("18 Habilidades de Luta de Um Samurai"). Apesar de algumas técnicas serem usadas da mesma maneira por ambos samurais e shinobis, outras técnicas eram usadas de modo diferente pelos dois grupos.

As 18 disciplinas ninja são:

Seishinteki Kyoyo (refinamento espiritual)
Taijutsu (arte da luta sem armas ou arte do corpo ou habilidade do corpo)
Kenjutsu (arte da luta com a espada)
Bojutsu (arte da luta com vara e bastão)
Sojutsu (arte da luta com lança)
Naginatajustu (arte da luta com naginata, um tipo de espada com cabo comprido)
Kusarigamajutsu (arte da luta com kusarigama, um tipo de corrente com uma foice na ponta)
Shurikenjutsu (arte da luta com arremesso de armas)
Kyakujutsu (pirotecnia)
Hensojutsu (disfarce e interpretação)
Shinobi-iri (descrição e infiltração)
Bajutsu (equitação)
Sui-ren (treinamento na água)
Botyaku (táticas)
Choho (espionagem)
Intonjutsu (fuga e ocultação)
Tenmon (meteorologia)
Chi-mon (geografia)

Kohaku, personagem irmão de Sango no anime InuYasha

Além de habilidades, algumas armas eram geralmente associadas ao ninjutsu, como kunai, shuriken, yumi e ya (arco e flecha tradicional japonês), naginata, ninjato (mencionada no post "Ninja" aqui do blog) e tantas outras como a katana (mais associada aos samurais, leiam o post sobre Katana clicando aqui.).

As mulheres também podiam ser shinobis/ninjas, mas eram intituladas "kunoichis", a elas eram associadas além de missões normais, outras missões e treinamentos de comportamento e afins para diferentes tática de infiltração.
É, o mundo do Japão feudal não era nada fácil, e aí, como acham que se sairiam em um treinamento "ninja"? :)



fonte do texto com alterações: wikipedia

5 de abr de 2012

Energia Geotérmica a nova fonte de energia renovável do Japão!?

Foto tirada por Alamy 
No Japão existem regras rígidas sobre o banho nas fontes termais (onsen). Corpos devem ser lavados antes, calção de banho são proibidos e as tatuagens são um tabu.

Durante décadas, os proprietários das fontes termais esconderam o desenvolvimento de uma enorme fonte potencial de energia limpa: a energia geotérmica. Eles acham que a derivação de aquíferos aquecidos pelos vulcões do Japão podem arruinar as fontes termais, principalmente com a poluição. Como sabemos que o país nipônico está bem próximo de ficar sem energia nuclear, eles estão sendo obrigados a buscar novas fontes de energia.

As três empresas japonesas, Toshiba, Mitsubishi e Fuji Eletric controlam mais da metade do mercado mundial das turbinas de energia geotérmica, mas o próprio Japão só recebe apenas 0,3% de sua energia.

Em julho, o governo está preparando uma proposta que irá forçar os dez monopólios regionais de eletricidade para comprar energia renovável. No final do mês de março o Ministério do Meio Ambiente disse que iria abolir as diretrizes que restringem o desenvolvimento geotérmico em alguns parques nacionais. Empresas como a Idemitsu, rapidamente anunciou planos para construir uma usina geotérmica nas montanhas da Prefeitura de Fukushima, famosa por suas fontes termais , o problema que eles acham que deve demorar uns dez anos para começarem a gerar esse tipo de eletricidade.

Especialistas afirmam que para acelerar as coisas, o Japão poderia olhar para o exterior para obter ajuda. Pois a Islândia por exemplo, gera a mesma quantidade de energia geotérmica que as terras nipônicas, embora o Japão tenha uma maior população. O especialista Hirofumi Muraoka, afirma "nós poderiamos além de gerar eletricidade, poderíamos utilizar a água quente das nascentes para aquecer as casas, como a Islândia faz.

O embaixador da Islândia no Japão, Stefan Stefansson, diz que a experiência do seu país sugere que eles não precisam de subsídios para desenvolver energia geotérmica. Precisa-se somente de uma gestão cuidadosa dos reservatórios subterrâneos e uma ótima visão empreendedora. Além de casas de aquecimento, diz ele, a água geotérmica da Islândia é utilizado para criação de peixes tropicais, como tilápia. Quanto aos protestos dos proprietários das fontes termais, falou com tom de chateado: "Vá para o seu computador e digite "Blue Lagoon". Lá você vai encontrar a maior onsen no mundo e temos todos elas sobre a Islândia. Como isso é para a poluição?"
Fonte: .economist

4 de abr de 2012

Karuta

 
Karuta (que por íncrivel que pareça, a palavra vem do português) é um jogo de cartas, originalmente do japão, em que o objetivo principal é embaralhar as cartas, virá-las de cabeça para baixo e fazer uma espécie de "jogo da memória" em que se deve formar pares. Bom, esse é o ponto principal e inicial do jogo.
À partir desse "jogo da memória" foram criadas diversas modalidades e estilos diferentes de se jogar.
Agora os mais importantes:

Uta-Garuta e Isshu Hyakunin

O Uta Garuta é um modo de se jogar em que 100 poemas são escritos nas cartas, divididas em 2 conjuntos. Os jogadores devem decorar os poemas e pega-las rapidamente no jogo, terminando de recitá-las.
Já o Isshu Hyakunin é um subgênero do Uta Garuta, mais popular. Foi criado no século 13 por Fujiwara no Teika, onde há 100 poemas, cada um escrito por um poeta famoso.
Para se jogar o Uta-Garuta,não é preciso necessariamente recitar o final, basta achar a carta certa.                
Esse é a modalidade mais conhecida, vemos ela em escolas, até mesmo em animes.       
  

Iroha Karuta
É um modo mais fácil de se jogar, geralmente voltado para crianças. É semelhante ao Uta-Garuta e Isshu Hyakuin. É composto por 48 provérbios, cada uma começando com uma sílaba diferente, tendo um outro baralho expressando o tal provérbio por meio de imagens.
Ainda há três variantes, Iroha Garuta; Kamigata Iroha, Edo Iroha e Owari Iroha.

Jomo Karuta
Este aqui apresenta a história e locais da prefeitura de Gunma.

Obake Karuta
Esta modalidade foi criada no período Edo e ficou popular entre 1910 e 1920. Cada carta do baralho apresenta um sílabario em hiragana e uma criatura da mitologia japonesa, sendo que o seu nome significa justamente isso - Cartões Fantasmas. O jogo exige que os jogadores saibam sobre mitologia e folclore, tendo que achar as cartas correspondentes lidas pelo o arbitro.
O jogo nos mostra o fascínio que os japonesas tem por sua mitologia, tendo o jogo inspirado obras como: Yu-Gi-Oh!, Pokemon, Digimon, entre outros.

 
As Competições
O Uta-garuta e Isshu Hyakunin é o estilo mais popular e o que geralmente vemos em competições profissionais. Para nós, ver um jogo deste parece ser um tanto quanto estranho, mas com certeza para os jogadores é excitante.
Inicialmente vemos os 2 jogadores e adversários se apresentarem, de quimono ou hakama, eles fazem uma referência aos juíz e depois para o desafiante. São colocadas as cartas no tatami. Tudo está quieto; gélido. As pessoas parecem estátuas vivas, que mal se mechem.
Inicialmente o juíz começa recitando um poema de abertura, o silêncio entre as outras pessoas ainda toma conta. Mas eis que um susto! Uma sílaba dita diferente e vemos movimentos bruscos dos jogadores e até pequenos "urros" da pláteia. A pessoa que acertou a carta, marca um ponto e logo tudo volta ao que era antes. Todos como estátuas humanas
Em Karuta há algo que muitas vezes é discutido: É um esporte/competição ou cultura? Talvez, os dois.

Fonte: Otaku Louco

2 de abr de 2012

Shoko Asahara

Shoko Asahara (麻原 彰晃) (Chizuo Matsumoto) nasceu em 2 de março de 1955, é o fundador do controvertido grupo religioso budista denominado Aum Shinrikyo (também conhecido como Aleph, ou ainda Verdade Suprema). Principal responsável pelo ataque terrorista em 20 de Março de 1995 com gás tóxico sarin ao metrô de Tóquio. Consequências: 12 mortes, 50 em estado debilitado (crítico) e 984 com problemas de visão. Em setembro de 2006 foi condenado à pena de morte. Está esperando a sentença.
Qualquer coisa que ele dissesse era tomada como verdade. Seus seguidores não se decepcionavam nem quando ele aparecia com alguns rituais extremamente bizarros, como beber o sangue de Asahara, que lhes era informado ter propriedades mágicas. Em outras épocas, os seguidores foram encorajados a comprar a água do banho de Asahara - que também constava ter propriedades mágicas. Fragmentos da barba de Asahara eram vendidos com instruções para serem fervidos em água e depois ingerir a solução.

Asahara foi laureado com o Prêmio IgNobel de matemática em 2011 por sua contribuição no campo das previsões erradas sobre o Apocalipse. De acordo com a organização do IgNobel, o profeta "ensinou ao mundo a ter cuidado ao elaborar hipóteses e fazer cálculos"

 

Fonte: Wikipedia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...