21 de abr de 2014

A Páscoa é comemorada no Japão?


Olá Pessoal, tudo bem com vocês?

Prometi a vocês que não iriamos sumir mas vejam só o que aconteceu novamente!? rsrs Mas nem se preocupem que iremos aparecer sempre que pudermos! 


Como passamos por um período muito importante para a religião cristã, que é a Páscoa, onde é relembrado o sacrifício e a ressurreição de Jesus Cristo, espero que todos tenham tido uma boa Páscoa com suas famílias e que tenham refletido sobre o real significado desta data.  =)


Aproveitando a importância da data, eu não poderia deixar de abordá-lo aqui no blog, não é verdade!? Mas então vamos a resposta do título da postagem?

Bem, a celebração da Páscoa nas terras nipônicas, não são tão comuns pelo simples fato de que o cristianismo é muito pouco praticado, em vista de outras religiões como o budismo e xintoísmo, o que não faz parte da tradição destas últimas religiões. 

Obviamente para as pessoas que frequentam a igreja ou são praticantes da religião católica no Japão, levam a data com a mesma seriedade, mas para aqueles que não são, de acordo com o Júlio dono do ótimo blog muitojapao2, a data é lembrada pelas lojas, assim como o Natal as quais "se aproveitam da crença e da religiosidade das pessoas para ganhar dinheiro e, quando o assunto é lucrar, não tem nacionalidade e comerciante que resista!".

Portanto, acredito que se o Júlio que é residente lá falou isso, significa que sim existem ovos de Páscoa sendo vendidos por lá, diferente do que muitos sites estão espalhando por ai, mas claro não com a mesma frequência e quantidade como vemos aqui no Brasil nos supermercados e lojas afins. (Aproveitem e leiam uma matéria que fizeram no site da veja sobre os preços dos ovos entre o Brasil e o Japão)

Mesmo a data não sendo tão comemorada como já vimos anteriormente, existem sim alguns termos em japonês que você pode utilizar para desejar Feliz Páscoa para alguém e são eles:

ハッピー イースター(Happii Iisutaa) - Isuuta (イースター) é uma palavra adaptada do inglês "Easter", que significa Páscoa e Happi vem do inglês "Happy", que significa Feliz.

ou

イースターおめでとうございます (Iisutaa Omedetou Gozaimasu) - que pode ser traduzido como "Parabéns pela Páscoa".


Não trouxe tantos detalhes, mas busquei reunir os pontos mais importantes dentre as fontes que me basei para escrever a postagem. Afinal buscamos reunir sempre neste nosso espaço o melhor conteúdo, sempre fazendo questão de referênciá-los. E é isso ai, um grande abraço e até a próxima! :)

13 de abr de 2014

A educação no Japão

No Japão a educação é uma prática ancestral, pois antecede o próprio exercício da escrita chinesa neste país, a qual teve início no século VI. No princípio ela se limitava à aristocracia, elite da sociedade japonesa. Ao longo do Período Edo, porém, a massa popular já havia conquistado o acesso ao sistema escolar; os samurais foram beneficiados com cursos especificamente direcionados a eles, mas as outras classes contavam com escolas mistas, nas quais aprendiam a escrever, ler e contar.




Por meio desta estrutura educacional, 40% dos japoneses já eram alfabetizados quando, em 1868, foi deflagrada a Restauração Meiji. Nesta mesma época instituiu-se no Japão o sistema de escolas primárias, secundárias e foram criadas as primeiras universidades. Os alunos percorrem cinco etapas:
  1. o jardim-de-infância, que pode durar de um a três anos;
  2. o primário, que contabiliza seis anos;
  3. o ginásio de 1º grau, o qual soma três anos;
  4. o ginásio de 2º grau, igualmente com três anos de duração;
  5. e finalmente a Universidade, concluída normalmente em quatro anos.
No Japão também existem as universidades juniores, nas quais é possível encontrar cursos de menor extensão, em média de dois ou três anos. Há inclusive pós-graduações que oferecem um conhecimento mais profundo. Conforme dados do Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia, relativos ao ano de 2005, aproximadamente 75,9% dos estudantes egressos do estágio considerado como ensino médio ingressam em uma Universidade, frequentam um curso profissional ou demais etapas posteriores a este grau secundário.
A formação educacional é gratuita e compulsória para todos os que estejam na faixa etária localizada entre os seis e 15 anos, apesar de uma boa parte dos graduados neste estágio seguirem voluntariamente para o período seguinte, correspondente ao 2º grau; já se tornou praticamente uma tradição, para os estudantes, ter no currículo essa fase da educação.
É em Abril que se inicia o ano letivo neste país. O currículo de cada etapa é estabelecido pelo Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia. O material pedagógico é constantemente submetido a análises e apreciações. Uma face típica, e não exatamente positiva, desta educação é seu caráter extremamente competitivo, particularmente quando se trata do ingresso em uma faculdade.
A educação japonesa prima também por uma disciplina radical e uma tradição acirrada, fatores já responsabilizados várias vezes pelo alto índice de suicídios entre adolescentes e jovens, os quais são psicologicamente pressionados pelas famílias e por este sistema educacional altamente exigente. Atualmente este mecanismo está em fase de transformação, pois no Japão também urge a acomodação da educação ao mundo pós-moderno; assim, é preciso que os alunos aprendam também a exercitar a liberdade e o ato criador.


Segundo o Suplemento de Educação Superior do The Times, as principais instituições universitárias japonesas hoje são a Universidade de Tokyo, a Universidade de Kyoto e a Universidade de Osaka. As escolas particulares têm um papel igualmente importante na educação, especialmente nas esferas da pré-escola e do ensino superior.

Particularmente falando, eu acredito que há muito rigor mesmo na educação japonesa, mas eu "tiro meu chapéu" para ela, pois eles aprendem que a educação é para a vida, para a convivência em sociedade, onde seu dever tem de ser cumprido, e não apenas ir para a escola só para fazer prova e responder a chamada. Desculpe me o Brasil, meu país, mas a educação brasileira está longe, mas muuuito longe de ser modelo (não desmerecendo àquelas escolas que buscam o seu melhor, pois temos muitos exemplos maravilhosos, mas que infelizmente são ofuscados pela fama que já está incutida). Mas tudo bem, como nada vai mudar mesmo, pelo menos eu acho, vamos fazer a nossa parte, buscando uma transformação nesses padrões, e enquanto isso vamos morrendo de inveja dos japoneses!! --'



Fico por aqui, espero que gostem, e estudem muito hein ^^. Jyaaa!!

Beijos!


Fonte: Infoescola/Wikipedia

7 de abr de 2014

Aokigahara, a Floresta do Suicídio

Aokigahara é uma floresta localizada aos pés do Fuji-san e tem cerca de 35 km². Possui solo rochoso de formação vulcânica e devido à sua mata densa que impede a passagem da luz do sol e do vento, a vida selvagem fica comprometida, o que a torna quieta e completamente silenciosa.
Esta floresta é bem conhecida por ser um importante ponto turístico do país, mas sua fama vem principalmente por ser a “Floresta dos Suicidas”, ou “Mar de Árvores”, onde todos os anos, muitas pessoas a procuram para darem fim à própria vida, ficando atrás apenas da Ponte Golden Gate, em São Francisco, Califórnia (USA).


Os japoneses vêm o suicídio como um ato honroso, ou seja, quando um homem fica desempregado e não tem mais condições de cuidar da família, adolescentes que sofrem ijime, pessoas que não alcançam algum objetivo e que de alguma forma poderá causar alguma vergonha para sua família, o suicídio seria a forma de honrá-la pelo seu erro e assim ser absolvido. Essa atitude vem de muitos anos atrás, quando samurais, que por honra ao imperador, tiravam suas vidas, e também os kamikazes, que se explodiam com seus aviões como bombas na época da Segunda Guerra Mundial. Contam também que a floresta ficou conhecida depois de Kuroi Jukai (Mar Negro de Árvores) da escritora Seicho Matsumoto, em 1960, que conta a história de um casal de namorados que se suicidam nesta floresta. Mas claro que antes mesmo desta história, a floresta já estava associada à morte. O Ubasute, muito praticado no século 19, consistia em levar idosos e incapazes para a floresta para morrerem de fome ou frio, ficando livres do fardo de mais um dependente, principalmente em épocas de fome.

Todos os anos, a policia junto com grupos de voluntários fazem a “caça ao corpo”, onde muitos são encontrados em estado avançado de deterioração e muitos esqueletos. Estima-se que são encontrados de 70 a 100 corpos, fora os que ainda não foram descobertos, e a cada ano estes números aumentam, mesmo com todas as medidas preventivas, como placas e cartazes informativos, incentivando a busca por ajuda profissional ou familiar. E também existem projetos para trabalhar esta questão em escolas e empresas.
Tradução do que está escrito: “Sua vida é um dom precioso. Por favor, pense nos seus pais, irmãos e filhos. Não guarde os problemas para si. Não passe por isso sozinho. Contacte a Associação de Prevenção de Suicídio: 0555 – 22 – 0110

Nos últimos anos o governo local parou de divulgar os números de suicidas encontrados para desvincular o termo da floresta.
Para finalizar, segue o link de um documentário sobre a Aokigahara, que é muito interessante e vale muito a pena ver.
Para mim este assunto é muito assustador com certeza, principalmente por este “ar paranormal” que muitos afirmam que ela tenha, já que turistas disseram que se sentiram desorientados e afirmaram terem visto “pessoas que apareciam e desapareciam do nada”. Eu jamais me atreveria a visitar um local desses, sou muito medrosa, e vocês nem imaginam o medo que tive de pesquisar este assunto a esta hora (são exatamente 01:47 am) pra escrever este post, inclusive até peço desculpas pelas poucas fotos, mas é que infelizmente não consegui, foi muito difícil, as imagens são fortes e eu não tenho estomago pra isso, gomen (o Google mostra coisas demais), mas passei e por essa e espero que gostem ^.^
Beijos!! 
Fonte: PortugalMundial/Wikipédia

3 de abr de 2014

Hábitos japoneses que todos deveriam seguir


Olá minna, tudo bem com vocês?? Hoje quero mostrar alguns tópicos sobre o porquê do Japão ser um exemplo para os outros países... ‘Ai, mas será que o Japão é tão lindo e perfeito assim??’ Não gente, o Japão não é um país perfeito, porque lá também existem roubos, mendigos, tarados, desemprego, etc e etc, mas a diferença está nas estatísticas, então não me culpem u.u rsrs, brincadeiras a parte, quero listar pra vocês alguns hábitos que fariam toda a diferença em nossa vida por exemplo. Sigam-me:
Tirar os sapatos antes de entrar em casa. Eles têm esse hábito para evitar que a casa seja contaminada pela sujeira da rua que ficam nos sapatos, e esse costume vai além das residências, estendendo-se para escolas, hospitais, entre outros locais. Quando eles chegam em casa, eles ficam de meias ou trocam seus sapatos por outros especiais para serem usados somente dentro de casa, chamados suripas ou sapatilhas. (uau, esse hábito eu adotaria para a minha vida sem problema algum, principalmente tendo uma criança em casa).
Máscaras. Você já se perguntou por que os japoneses usam máscaras? Bom, eu já, mas li em um artigo uma vez que eles fazem isso simplesmente pelo respeito ao próximo (como assim?), tipo, quando um japonês está com gripe, alguma virose, etc, ele usa máscara para não contaminar outras pessoas, uma vez que ele está em contato com muitas delas durante o dia, então elas não precisam ficar doentes por culpa dele (assim funciona a cabeça deles, sempre o coletivo).
Ginástica matinal. Isso não é novidade, já que em muitos lugares hoje é normal a ginástica laboral (empresas, fábricas), para iniciar o trabalho com mais energia. Em praças é comum ver pessoas malhando em grupos também, principalmente da 3ª idade, mas não podemos deixar de citar que este hábito foi adquirido através de nossos amigos asiáticos né. Eles costumam fazer uma ginástica coreografada, chamada Radio Taiso, que também é comum em escolas também. Para conhecer mais sobre isso, clique aqui.
Não jogar lixo nas ruas. Você sabia que no Japão não há gari? É minha gente, pois é, não tem, (mas espere ai Ana Paula, então quem faz a limpeza das ruas?). Pasmem meus amigos mas são os próprios moradores que se revezam para tal O.o, sendo que, já que as ruas são de todos, todos cuidam delas, e muito bem cuidado... é comum ver crianças andando com seus bolsos cheios de papéis de doces, pois são incentivados desde muito jovens os seus deveres de cidadãos. (Ok, todo mundo sabe que isso é o fim, mas então por que não por em prática gente?? Eu morro de vergonha de andar nas ruas e ver a sujeira que as pessoas jogam, eu juro, não faço esse tipo de coisa, e ensino a minha filha que tem apenas 2 anos a não fazer também, porque meu, vamos falar a verdade, é muito feia e sem noção uma atitude assim.)
Limpeza de ambientes públicos e familiares. Este tópico eu poderia ter emendado com o anterior, mas tudo bem, segue aqui... você sabia que a profissão de servente de escolas também não existe no Japão? Yyyáááh, é, não existe, e são os próprios alunos que limpam os ambientes, incluindo os banheiros. Nas fabricas isso também acontece, e nos lares são as donas de casa; empregada doméstica, babá, não são profissões muito comuns de ser ver por lá, por isso todos são responsáveis por contribuir para o bem de todos, (o coletivo como citei lá em cima).
Separação do lixo. O sistema de coleto de lixo do Japão é bem rigoroso, ou seja, se estiver alguma coisa errada, eles não vão levar seu lixo, e ainda por cima vão deixar uma aviso bem grande para que você faça direito o seu dever. Chocante não, mas é o mais correto né, uma vez que esteja tudo em seu devido lugar, papel, vidro, plástico, enfim, tudo transcorrerá naturalmente. O que se diz é que no início é complicado, mas depois torna-se algo tão simples que fica fácil e eficiente ;).
Bicicletas (jitenshas). O meio de transporte preferido dos japoneses, eles usam as bicicletas para tudo gente, trabalhar, fazer compras, levar as crianças para a escola, etc., sendo um transporte que não polui o meio ambiente e combate o sedentarismo. É muito legal ver os estacionamentos de muitos lugares que possuem um “mar” delas na frente, mas aí eu te pergunto, como que os donos as localizam depois?? E olha que ninguém rouba nada de ninguém, você pode deixar o que quiser na cestinha que vai estar tudo lá quando voltar, ops, to me estendendo demais, então clique aqui para conhecer mais sobre isso, vale a pena.
Bons hábitos alimentares. Sabemos que o Japão é um pais que possui uma expectativa de vida bem alta, e isso deve-se principalmente à alimentação deles que é baseada em legumes, verduras e peixes; o chá verde também é algo muito especial na alimentação deles, porque possui propriedades antioxidantes, ajudam a reduzir taxas de colesterol, pressão arterial e combate a obesidade, sendo mais consumido que o refrigerante. Eu por exemplo amo tomar chá verde; não sei se é psicológico, mas parece que quando tomo me sinto bem, principalmente depois do almoço, mas quem sabe um dia eu experimento o verdadeiro né, ai eu conto pra vocês como é o sabor, se é igual ao daqui rs.
Gostaram?? Espero que sim e que, se possível, adquiram para suas vidas estes exemplos, já que eles visam sempre o bem de todos. Em uma comunidade tão egoísta em que vivemos hoje, que sonho o meu viver em uma onde o respeito ao próximo e ao bem comum é prioridade na vida de todos. Até a próxima. ^^
Beijos!!

Fonte: Japão em Foco/CulturaJaponesa

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...