7 de abr de 2014

Aokigahara, a Floresta do Suicídio

Aokigahara é uma floresta localizada aos pés do Fuji-san e tem cerca de 35 km². Possui solo rochoso de formação vulcânica e devido à sua mata densa que impede a passagem da luz do sol e do vento, a vida selvagem fica comprometida, o que a torna quieta e completamente silenciosa.
Esta floresta é bem conhecida por ser um importante ponto turístico do país, mas sua fama vem principalmente por ser a “Floresta dos Suicidas”, ou “Mar de Árvores”, onde todos os anos, muitas pessoas a procuram para darem fim à própria vida, ficando atrás apenas da Ponte Golden Gate, em São Francisco, Califórnia (USA).


Os japoneses vêm o suicídio como um ato honroso, ou seja, quando um homem fica desempregado e não tem mais condições de cuidar da família, adolescentes que sofrem ijime, pessoas que não alcançam algum objetivo e que de alguma forma poderá causar alguma vergonha para sua família, o suicídio seria a forma de honrá-la pelo seu erro e assim ser absolvido. Essa atitude vem de muitos anos atrás, quando samurais, que por honra ao imperador, tiravam suas vidas, e também os kamikazes, que se explodiam com seus aviões como bombas na época da Segunda Guerra Mundial. Contam também que a floresta ficou conhecida depois de Kuroi Jukai (Mar Negro de Árvores) da escritora Seicho Matsumoto, em 1960, que conta a história de um casal de namorados que se suicidam nesta floresta. Mas claro que antes mesmo desta história, a floresta já estava associada à morte. O Ubasute, muito praticado no século 19, consistia em levar idosos e incapazes para a floresta para morrerem de fome ou frio, ficando livres do fardo de mais um dependente, principalmente em épocas de fome.

Todos os anos, a policia junto com grupos de voluntários fazem a “caça ao corpo”, onde muitos são encontrados em estado avançado de deterioração e muitos esqueletos. Estima-se que são encontrados de 70 a 100 corpos, fora os que ainda não foram descobertos, e a cada ano estes números aumentam, mesmo com todas as medidas preventivas, como placas e cartazes informativos, incentivando a busca por ajuda profissional ou familiar. E também existem projetos para trabalhar esta questão em escolas e empresas.
Tradução do que está escrito: “Sua vida é um dom precioso. Por favor, pense nos seus pais, irmãos e filhos. Não guarde os problemas para si. Não passe por isso sozinho. Contacte a Associação de Prevenção de Suicídio: 0555 – 22 – 0110

Nos últimos anos o governo local parou de divulgar os números de suicidas encontrados para desvincular o termo da floresta.
Para finalizar, segue o link de um documentário sobre a Aokigahara, que é muito interessante e vale muito a pena ver.
Para mim este assunto é muito assustador com certeza, principalmente por este “ar paranormal” que muitos afirmam que ela tenha, já que turistas disseram que se sentiram desorientados e afirmaram terem visto “pessoas que apareciam e desapareciam do nada”. Eu jamais me atreveria a visitar um local desses, sou muito medrosa, e vocês nem imaginam o medo que tive de pesquisar este assunto a esta hora (são exatamente 01:47 am) pra escrever este post, inclusive até peço desculpas pelas poucas fotos, mas é que infelizmente não consegui, foi muito difícil, as imagens são fortes e eu não tenho estomago pra isso, gomen (o Google mostra coisas demais), mas passei e por essa e espero que gostem ^.^
Beijos!! 
Fonte: PortugalMundial/Wikipédia

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...